Ademi PR

Ademi PR

Blog

Patrocinado 30/10/2019
Compartilhe:

Você sabe a diferença entre Diagnóstico Financeiro, Monitoramento Financeiro e Controladoria Digital?

Esses produtos podem viabilizar o crédito imobiliário para um incorporador e reduzir o nível de risco do crédito imobiliário e dos adquirentes das unidades imobiliárias.

Como deveria ser a avaliação do risco do crédito de um projeto imobiliário? Pelo patrimônio do incorporador? Pelo valor de avaliação do terreno? Pelas perspectivas das imagens do projeto imobiliário? Pelo custo de obra?

Bem, já se sabe que esses métodos não são suficientes para reduzir o nível de risco de crédito das incorporações imobiliárias. Mas há uma solução. Ou melhor, três soluções.

A primeira é o produto Diagnóstico Financeiro. Ele certifica em uma data base os fatos contábeis, fiscais, de fluxo de caixa incorrido, espelho de vendas e recebíveis de um projeto imobiliário. Além disso, projeta cenários de fluxo de caixa capazes de identificar a necessidade de aporte de capital dos sócios, o nível certo do volume de recursos para o crédito imobiliário, o lucro e a rentabilidade do projeto.

Esse produto é utilizado no momento da avaliação do crédito, ou antes da primeira liberação de recursos do crédito imobiliário. Também é possível agregar a este produto a revisão ou execução do orçamento da obra.

Por outro lado, também há o produto Monitoramento Financeiro. Esse, por sua vez, avalia a evolução das vendas, recebíveis, níveis de garantia, validade das certidões fiscais, análise das contabilizações realizadas e a projeção do fluxo de caixa do projeto imobiliário, mês a mês, a partir da primeira liberação do crédito imobiliário.

Com ele, os bancos de crédito e os incorporadores, ficam mensalmente alinhados acerca dos pontos de atenção e de risco do projeto imobiliário.

Compartilhe:
X